size_810_16_9_vegetais-fita-metrica

Dieta para secar a barriga: cardápio emagrece 7 kg em 32 dias

Oferta da Semana 728x90

Essa dieta para secar a barriga ajuda a garantir um abdome sequinho, sem qualquer sinal de gordura localizada. A proposta é apresentada no livro A Dieta da Barriga Zero! (Ed. Best Seller), escrito por Liz Vaccariello e Cynthia Sass — editora-chefe e diretora nutricional, respectivamente —, da revista Prevention, a publicação americana mais popular sobre saúde e qualidade de vida.

A dieta para secar a barriga é dividida em duas etapas. A primeira é um processo de quatro dias que visa a desintoxicação do organismo. “Ela retira vários alimentos que incham o trato gastrointestinal e coloca no cardápio cereais integrais, frutas, legumes, castanhas e uma água específica (água Sass) para detox, à base de gengibre e limão”, explica Fernanda Granja, nutricionista clínica especializada em nutrição funcional e fisiologia do exercício (SP).

Atacando o inimigo

Já a segunda etapa, que dura quatro semanas (completando os 32 dias do programa), inclui em cada refeição um ácido graxo monoinsaturado (AGMI). Isso mesmo, um tipo benéfico de gordura capaz de detonar a gordura da barriga que, além de causar desconforto estético, provoca problemas de saúde, como as doenças cardiovasculares. Os pilares da dieta são: óleos, azeitonas, frutas oleaginosas e sementes, abacate e chocolate amargo.

“Eles possuem ômegas e minerais que aceleram a mobilização de gordura e diminuem o cortisol, hormônio gerado pelo estresse, por exemplo, quando dormimos pouco, nos alimentamos mal, se há excesso ou falta de exercícios físicos, em caso de exposição à poluição, agrotóxicos, etc.”, diz Fernanda Granja.

Quando questionada sobre a eficácia deste programa, a nutricionista atesta que funciona, “pois está firmado em pilares básicos da boa nutrição, como: comer pequenas porções várias vezes ao dia e incluir sempre nas refeições uma fonte de gordura boa (os AGMIs). Esse tipo de dieta se parece muito com a dieta mediterrânea, considerada a melhor do mundo”, revela.

 

1ª fase: cardápio para enxugar a barriga

A primeira fase da dieta serve para limpar o organismo e, segundo as autoras, reduzir a circunferência abdominal em até 14 cm (uauuu!). “Nesse período são utilizados alimentos desintoxicantes como folhas verdes, castanhas e água Sass, para potencializar a eliminação das toxinas pelo fígado, assim como melhorar o metabolismo e eliminar o inchaço”, comenta Daniela Jobst, nutricionista especializada em nutrição funcional (SP).

A profissional comenta ainda que o rápido resultado desta etapa faz com que a pessoa não desanime e mantenha o foco para seguir com o processo. “As dietas desintoxicantes geram bem-estar e energia ao organismo e, além disso, melhoram a saúde e a aparência do cabelo, da pele e das unhas”, conta. Confira opções de cardápio avaliadas pela nutricionista, que oferecem 1.200 calorias diárias.

Opção 1

Café da manhã

­ 1 xíc. (chá) de chá-verde

­ 1 torrada integral

­ 1 col. (sobremesa) de azeite de oliva extravirgem

Almoço

­ 1 copo de água Sass (beber antes da refeição)

­ 1 prato (sobremesa) de salada de alface roxa, rúcula, agrião e tomate

­ 1 col. (sopa) de arroz integral crocante com castanha-do-pará

­ 1 concha média de feijão

­ 1 bife médio magro grelhado

­ 3 col. (sopa) de couve-de-bruxelas

Lanche

­ 1 copo (200 ml) de suco feito com 1 copo (200 ml) de água Sass + 1 cenoura + 1 folha pequena de couve + 5 amêndoas

Jantar

­ 1 copo de água Sass (beber antes da refeição)

­ 1 prato (sobremesa) de salada de grão-de-bico com maçã verde

­ 8 lâminas de carpaccio de salmão

Opção 2

Café da manhã

­ 1 copo (200 ml) de suco feito com 1 copo (200 ml) de água Sass + ½ maçã + hortelã ­ 1 torrada integral com 1 col. (sobremesa) de abacate amassado + 1 pitada de sal marinho e/ou azeite de oliva extravirgem

Almoço

­ 1 copo de água Sass (beber antes da refeição)

­ 1 prato (sobremesa) de salada de endívia e alface- americana com broto de alfafa

­ 2 col. (sopa) de quinoa em grãos

1 filé de frango grelhado com ervas (alecrim, cebolinha e salsinha)

­ 1 xíc. (chá) de mix de brócolis e couve-flor refogados com alho

Lanche

­ 1 banana média com 1 col. (sobremesa) de farinha de linhaça dourada

­ 1 copo (200 ml) de água Sass

Jantar

­ 1 copo de água Sass (beber antes da refeição)

­ 1 prato (sobremesa) de legumes salteados no azeite (brócolis, vagem, couve-flor e cenoura) ­

2 col. (sopa) de quinoa em grãos

­ 1 filé de frango com shoyu, mostarda e curry

Opção 3

Café da manhã

­ 1 copo (200 ml) de suco de frutas vermelhas (framboesa, morango, amora) batido com hortelã e água Sass ­

1 fatia de pão integral com 1 col. (sobremesa) de geleia sem açúcar + 1 col. (chá) de tahine (pasta de gergelim)

Almoço

­ 1 copo de água Sass (beber antes da refeição) ­

1 prato (sobremesa) de salada de alface lisa, rúcula e cenoura (crua) ­ 1 batata-doce pequena assada com alecrim

­ 1 filé de peixe grelhado ­

3 col. (sopa) de berinjela assada no azeite

Lanche

­ 1 copo (200 ml) de água Sass (beber antes da refeição)

­ 1 pera

­ 2 castanhas-do-pará

Jantar

­ 1 copo de água Sass (beber antes da refeição)

­ 1 prato (sobremesa) de salada de alface, rúcula, agrião e palmito pupunha ­ 2 col. (sopa) de arroz integral com açafrão ­ 3 col. (sopa) de mix de cogumelos (shiitake e shimeji) refogados com shoyu e azeite

­ 1 posta de atum com crosta de gergelim


2ª fase: menu das gorduras boas (e antibarriga)

De acordo com as autoras, as quatro semanas seguintes são fundamentais para uma reeducação alimentar e o menu composto por alimentos saudáveis e saborosos é a combinação perfeita para que o plano seja seguido sem recaídas. “Neste período, a dieta é menos restrita em calorias, porém segue o mesmo princípio de utilizar alimentos termogênicos e que favoreçam a eliminação de toxinas, fazendo o fígado trabalhar melhor”, conta Daniela Jobst.

Além disso, deve-se incluir um AGMI por refeição. No entanto, a profissional faz um alerta: “A moderação é essencial. O segredo é a utilização de alimentos anti-inflamatórios (gorduras boas), porém, em excesso, eles acabam engordando pelo alto valor calórico.” Confira o cardápio com opções para três dias avaliado pela nutricionista e que oferece 1.500 calorias diárias.

Opção 1

Café da manhã

­ 1 xíc. (chá) de chá branco­ 2 torradas integrais com 1 col. (sobremesa) de tahine (pasta de gergelim) + 1 col. (chá) de mel

Almoço

­ 1 prato (sobremesa) de salada de lentilha, tomate e maçã verde, temperada com azeite e nozes picadas

­ 4 unidades de almôndegas de carne assadas

­ 2 col. (sopa) de quinoa em grãos

Lanche

­ 1 copo (200 ml) de suco de couve com laranja-lima e 1 col. (sobremesa) de linhaça

­ 1 ameixa

Jantar

­ 1 prato (sobremesa) de salada de folhas verdes mistas e tomate cereja

­ 1 posta de robalo com crosta de castanha de caju

­ 1 prato (sobremesa) de mix de legumes no vapor (cenoura, vagem e abobrinha) ­

2 col. (sopa) de macarrão integral ao azeite de oliva extravirgem

Opção 2

Café da manhã

­ 1 copo (200 ml) de suco de limão com hortelã

­ 1 fatia de pão de forma integral

­ 1 ovo mexido

­ 3 castanhas-do-pará

Almoço

­ 1 prato (sobremesa)

de salada de folhas verdes com pepino e tomate cereja

­ 3 unidades de almôndegas de frango assadas

­ 2 col. (sopa) de arroz integral

­ 1 concha de feijão-carioca

Lanche

­ 4 rosquinhas integrais de cacau e gengibre

­ 1 copo (200 ml) de água de coco

Jantar

­ 1 prato (fundo) de sopa de tomates frescos com manjericão, azeite de oliva extravirgem e azeitonas ­

1 ­filé de frango assado com tiras de abobrinha


Alimentos que influenciam na dieta 

Azeitonas

O fruto que dá origem ao azeite de oliva é rico em ômega-9, que participa do metabolismo, desempenhando papel fundamental na síntese dos hormônios e na regulação da produção de cortisol, uma das substâncias responsáveis pelo armazenamento de gordura na região abdominal. Trocando em miúdos: o nutriente tem o grande poder de af­inar a cintura. Além disso, é fonte de ferro, cobre, vitamina E e ­fibras que ajudam na saciedade e na digestão.

Oleaginosas e Sementes

Castanha-do-pará, castanha de caju, nozes, amêndoas, macadâmia, pistache, semente de linhaça, de girassol, entre outras, são ótimas fontes de vitaminas e minerais. Como são conhecidas por seu alto teor calórico, muitas pessoas evitam consumi-las, mas incluí-las no cardápio diário proporciona diversos benef­ícios ao organismo, como redução do mau colesterol (LDL) e dos radicais livres, que promovem o envelhecimento celular. Outro ponto a favor desses alimentos é o grande teor de proteína vegetal, necessária para a recuperação muscular, principalmente em atletas e idosos.

Abacate

A presença do ômega-9 torna a fruta uma das principais aliadas do emagrecimento, já que estudos comprovam que a obesidade é uma doença inf­lamatória e o nutriente é capaz de diminuir o estado inf­lamatório do organismo. Além disso, é fonte de f­itoesteróis, substâncias capazes de inibir a absorção e síntese do colesterol. Também é fonte de ­fibras, que auxilia no funcionamento intestinal, e confere saciedade, o que leva a pessoa a comer menos.

Chocolate amargo

A delícia é rica em antioxidantes, que ajudam a evitar o acúmulo de gordura nas células do corpo, impedindo doenças cardíacas e obesidade, segundo pesquisa recente feita em Taiwan e publicada no Journal of Agriculture and Food Chemistry, dos Estados Unidos.

 

Compartilhe este artigo